quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Empadão de Kamut e Quinoa com Conservas Manná ao Natural


         

Olá minha gente,

O Barrigana está de volta com mais uma das suas receitas, que desta vez é, por sinal, bastante saudável.

Hoje, dia 8, assinala-se o Dia Europeu da Alimentação e Cozinha Saudáveis e como tal para a receita de hoje esforcei-me por usar ingredientes o mais saudáveis possível.
Assim hoje trago-vos um “Empadão de Kamut e Quinoa com Conservas Manná ao Natural”.
Vão precisar de:

(Para cerca de 4 pessoas)
- 1 lata de Atum posta ao natural Manná;
- 2 latas de Filetes de Cavala ao Natural Manná;
- Cerca de 150g de Kamut;
- Cerca de 150g de Quinoa;
- 2 alhos-franceses (pequenos);
- Salicórnia em pó (q.b.); (Esta erva salga o mesmo que o sal, com menor quantidade de sódio)
- 5 fatias de queijo (-50% de gordura);
- 200ml de Natas de Aveia;
- 1 colher de sopa de farinha de cogumelo;
- 1 colher de sopa de farinha de batata-doce;
- Coentros a gosto;
- Cebolinho a gosto

Em primeiro lugar, coze-se o kamut e a quinoa, em separado, pois têm tempos de cozedura diferentes.

Em seguida, num tabuleiro com azeite coloca-se metade do kamut e a quinoa (misturados) fazendo uma camada de base. Depois coloca-se o alho-francês cortado em rodelas e tempera-se com um pouco de azeite e a salicórnia em pó.

Numa taça mistura-se o Atum Posta e os Filetes de Cavala ao Natural Manná e espalha-se no tabuleiro. Entretanto num pequeno tacho aquece-se ligeiramente as natas de aveia, à qual se junta as farinhas de cogumelos e batata-doce lentamente e mexendo constantemente com uma vara de arames, para que não faça grumos. Tempera-se com a salicórnia em pó e com coentros e cebolinho picados a gosto.

Assim que tivermos uma mistura aveludada vertemos a maior parte por cima da mistura de conservas, para de seguida colocar a outra metade do kamut e quinoa de forma a fazer uma camada. Depois colocam-se as restantes natas de aveia por cima seguidas das fatias de queijo para finalizar.

Leva-se ao forno por cerca de 35 minutos, mais 2 a 3 minutos no fim no modo grill para tostar o topo.

Saudável, saudável, saudável...é a palavra de ordem para esta receita.

Patrocinado por Manná - Patés e Conservas de Peixe - www.consul.pt / www.facebook.com/MANNAPateseConservasdePeixe

Fotos por Shot Frame - www.facebook.com/shotframept

domingo, 18 de junho de 2017

Dia Internacional do Sushi - Temaki de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy


Olá minha gente,

O Barrigana está de volta com mais uma das suas receitas e desta vez é uma receita que merece uma grande vénia. Sabem porquê? Porque hoje celebra-se o Dia Internacional do Sushi e por isso mesmo aventurei-me a preparar uma receita de sushi, mais propriamente um “Temaki de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy”.

Por incrível que pareça esta receita combina dois elementos muito distantes, mas também muito próximos entre si, a conserva e o sushi. Na verdade, nos primórdios, o sushi surgiu como uma maneira de conservar o peixe. Antigamente no Japão, para que o peixe conseguisse chegar a todo o território em perfeitas condições para consumo, este era salgado e depois acondicionado entre camadas de arroz cozido. Desta forma, o peixe ficava conservado, já que o arroz libertava ácido acético e ácido láctico que ajudava a preservar o peixe e dava-lhe um sabor ácido.

Assim, conserva e sushi (ainda que na sua origem) são ambas uma forma de conservar o peixe.
Mas voltando à receita de hoje, vão precisar de:

(Para 3 Temakis)
- 1 lata de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy;
- 1 folha e ½ de alga Nori;
- 1 medida pequena de arroz de sushi (suficiente para 3 pessoas);
- 2 colheres de sopa de maionese;
- Wasabi a gosto;
- Cerca de 6 colheres de chá de vinagre de arroz;
- 1 cornichon;
- 6 fatias de Maçã Granny Smith;
- Cebolinho q.b.;
- Sementes de sésamo q.b.;
- Sucedâneo de caviar q.b.;

Começamos pelo arroz. Em primeiro lugar lava-se bem o arroz até a água da lavagem ficar apenas ligeiramente turva. Depois coloca-se o arroz num tacho e junta-se cerca de uma medida e meia de água (usando a mesma medida que usámos para medir a quantidade de arroz), algumas pedras de sal e leva-se a lume médio-forte até começar a levantar fervura. Assim que começar a levantar fervura diminui-se o lume para o mínimo, tapa-se e deixa-se cozer por 10 minutos em lume muito baixo.

Uma vez cozinhado, retira-se para uma tábua (ou superfície) de madeira e deixa-se arrefecer mexendo o arroz levemente com a ajuda de uma colher. Em seguida mistura-se o vinagre de arroz com um pouco de sal e um pouco de açúcar e tempera-se o arroz aos poucos distribuindo bem este tempero por todo o arroz e misturando (para temperar esta quantidade de arroz apenas usei metade deste tempero). Reserva-se.

Seguidamente, numa taça junta-se a maionese, o wasabi, a restante mistura do vinagre de arroz, o cornichon finamente picado, o cebolinho picado e a Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy desfiada. Mistura-se tudo bem e reserva-se.

Nesta fase, parte-se uma folha de alga nori em metade, coloca-se numa mão (seca, caso contrário a alga começa a perder automaticamente a sua crocância e torna-se mais difícil de mastigar) e com a outra mão ligeiramente molhada retira-se um pouco de arroz e coloca-se no canto dispondo-o na diagonal de forma a que a ponta do canto inferior fique livre. Depois coloca-se a mistura de Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy e as duas fatias de maçã Granny Smith.

A fase seguinte é crítica: enrolar. Pega-se na ponta inferior da alga e enrola-se de maneira a que esta ponta vá bater a um pouco mais do meio da alga e depois, cuidadosamente, enrola-se a restante alga em torno do recheio (caso tenham dúvidas existem vários vídeos no youtube que ensinam a técnica do temaki).

Uma vez enrolado, finaliza-se com um pouco mais de cebolinho picado, sementes de sésamo e sucedâneo de caviar a gosto (caso tenham possibilidade podem usar tobiko [ovas de peixe voador]) no topo.

Uma combinação simples, mas diferente para assinalar o Dia Internacional do Sushi.

Patrocinado por: Good Boy Conservas de Peixe – www.consul.pt/good-boy-pt


Fotos por: Shot Frame – www.shotframe.pt  /  facebook.com/shotframept

domingo, 21 de maio de 2017

Filetes de Robalo Braseados com Granita de Tomate e molho de Coentros


Olá minha gente,

O Barrigana está de volta.
Para hoje preparei uma excelente receita para estes dias que já lembram o verão.

Quente, ou frio? É sempre uma decisão a tomar quando fazemos uma receita, …e porque não ter os dois??? É isso que vos trago hoje, uns surpreendentes “Filetes de Robalo Braseados com Granita de Tomate e molho de Coentros”. Vão precisar de:

(Para 3 pessoas)
- 3 filetes de robalo;
- 4 tomates chucha médios (maduros);
-  Coentros a gosto;
- Azeite q.b.;
- Vinagre Balsâmico a gosto;
- Cebolinho a gosto;
Marinada para o peixe
- Cerca de 2 colheres de sopa de soja;
- Cerca de 1 colheres de sopa de molho inglês;
- Cerca de 2 colheres de sopa de vinagre balsâmico;
- Rodelas de limão;

Em primeiro lugar, tempera-se os filetes de robalo com as rodelas de limão e reserva-se no frio por cerca de 1 a 2 horas e colocam-se os tomates no congelador para que congelem.

Entretanto, colocam-se folhas de coentros a gosto no almofariz, juntamente com algumas pedras de sal grosso, um pouco de azeite e de vinagre balsâmico. Bate-se tudo até se obter uma pasta. Retifica-se os temperos e reserva-se.

De seguida, numa taça mistura-se a soja, o molho inglês e o vinagre balsâmico. Retiram-se os filetes de robalo do frio e temperam-se com a mistura e reserva-se por pelos menos 30 minutos.

Nesta fase retiram-se os tomates do congelador e ralam-se com a ajuda de um ralador, de maneira a obter-se uma mistura granulada. Depois de tudo ralado, mistura-se tudo bem com a ajuda de um garfo, para soltar um pouco mais a mistura e volta-se a colocar no congelador.

Passados os 30 minutos, partem-se os filetes em pedaços com a largura de aproximadamente 3 dedos e colocam-se numa travessa de alumínio. Nesta fase, com a ajuda de um maçarico braseiam-se a gosto de ambos os lados e reservam-se. Caso não tenham um maçarico podem colocar os filetes num forno bem quente no modo grill por alguns minutos.

Serve-se colocando a granita de tomate juntamente com o molho de ervas por baixo e depois os filetes de robalo, finalizando com cebolinho picado a gosto.

Aconselho a que comam rapidamente antes que os filetes fiquem frios e que a granita derreta.

Quente ou fria? Os dois. Uma excelente receita, saudável e deliciosa.

Fotos por Shot Frame – www.shotframe.pt / facebook.com/shotframept

domingo, 12 de março de 2017

Salada Variada de Sardinhas em Azeite com Limão Manná Gourmet


Olá a todos,

Há algum tempo que tenho começado a desenvolver um hábito (que ainda estou a aperfeiçoar) …ir às compras à praça. Felizmente tenho tido esta possibilidade, principalmente ao sábado de manhã, compro fruta, legumes e vegetais e até leguminosas e especiarias secas. Depois vou cozinhando ao longo da semana conforme o que me parece melhor, mas, normalmente há sempre um dia em que junto alguns vegetais e legumes que já estão quase a passar do ponto. Basicamente é abrir o frigorífico e escolher.

Normalmente estas são ótimas saladas para um almoço rápido, saudável e nutritivo. Assim, para hoje trago uma “Salada variada de Sardinhas em Azeite com Limão Manná Gourmet”, esta é uma daquelas saladas características deste período “entre o inverno e a primavera”. Vão precisar de:

 (Salada)
- Sardinhas em Azeite com Limão Manná Gourmet (reservar o azeite);
- Cerca de 50g de Lentilhas vermelhas;
- 1 abacate;
- 2 tomates chucha;
- ½ couve-nabo;
- 2 colheres de sopa de vinagre de vinho branco;
- 1 colher de chá de mel;
- 1 colher de chá de molho inglês;
- 4 folhas de alface;
- Coentros a gosto;
- Nozes a gosto;
- Amêndoas a gosto;
(Vinagrete)
- 2 colheres de chá de mostarda;
- 1 colher de mel;
- Sal e pimenta;
- Azeite da Conserva;
- 1 colher de sopa de vinagre de cidra;
- ¼ de colher de chá de pimenta de caiena;

Em primeiro lugar num tacho colocam-se as lentilhas a cozer com o dobro da quantidade de água e um pouco de sal. Entretanto, numa taça pequena coloca-se a couve-nabo cortada em fatias finas juntamente com o vinagre de vinho branco, sal, o mel e o molho inglês, misturando tudo bem e reservando.

De seguida, numa saladeira colocam-se as folhas de alface, o tomate partido em cubos, o abacate partido em fatias, as Sardinhas em Azeite com Limão Manná Gourmet (retirando previamente a espinha central), as nozes e amêndoas partidas em pedaços e os coentros picados.

Depois passando ao vinagrete, numa taça junta-se a mostarda, o mel, sal e pimenta, a caiena e o vinagre e mistura-se bem. Enquanto se mistura vamos juntando gradualmente o azeite da conserva até obtermos um molho espesso e homogéneo.

Nesta fase, passados cerca de 20 minutos, as lentilhas devem estar cozidas. Escorrem-se e lavam-se em água fria para parar a cozedura e para que não vão muito quentes para a saladeira. Juntam-se aos outros ingredientes, assim como a couve-nabo e envolve-se tudo levemente.

Finaliza-se temperando tudo com o vinagrete.
Uma receita saudável para uma refeição fácil e rápida.


Fotos por Shot Frame – www.shotframe.pt / facebook.com/shotframept


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Prego de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy em Bolo do Caco


Olá minha gente,

O Prego é daqueles petiscos da cozinha tradicional portuguesa que está “na moda”. Efetivamente, nos dias que correm, existem cada vez mais formas de o apresentar e de o confecionar. Desde o mais tradicional (Pão e carne) até ao mais gourmet e surpreendente feito com outros ingredientes e servidos em pães diferentes.

Hoje trago-vos uma versão mais alternativas, um “Prego de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy em Bolo do Caco”. Vão precisar de:

(para 2 pessoas)
- 1 lata de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy (reservar o azeite da lata);
- 2 bolos do caco;
- Manteiga q.b.;
- 1 dente de alho (finamente picado);
- Salsa e coentros a gosto;
- 2 batatas doces;
- Mostarda q.b.;
- 2 colheres de chá de mel;
- Cebolinho a gosto;
- Piripíri a gosto;
- Raspas de laranja e limão q.b.;

Em primeiro lugar, numa taça mistura-se a manteiga amolecida, o alho (picado bem fininho), a salsa e os coentros picados.

Depois cortam-se os bolos do caco ao meio e leva-se ao forno a 180 graus, por cerca de 5 minutos, para que aqueçam. De seguida, barra-se cada um com a manteiga de ervas e leva-se novamente ao forno por 3 a 5 minutos. Retira-se e reserva-se.

Nesta fase, descascam-se e cortam-se as batatas doces (eu fi-lo com a ajuda de um spiralo que me ajudou a obter uma forma redonda e uma grossura fina e uniforme). Em primeiro lugar, passam-se por água fria e secam-se bem. Tempera-se com um pouco de azeite e levam-se ao forno a 180 graus por cerca de 20 minutos, ou até ficarem douradas e estaladiças. Finaliza-se temperando com sal e pimenta a gosto.

Passando ao molho de mostarda e mel. Numa taça junta-se a mostarda, o mel, o cebolinho picado e o piripíri e mistura-se bem, juntando gradualmente o azeite da lata de conserva até se obter um molho de consistência homogénea.

Finaliza-se recheando os bolos do caco com as lascas de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy e temperando com as raspas de laranja e limão. 

(P.S. e não se esqueçam de adicionar também a cebolinha, as ervas e a malagueta que vêem na lata com a ventresca, seria um desperdício não utilizá-las).   

E aqui está, um toque especial num clássico português.



Fotos por Shot Frame – www.shotframe.pt / facebook.com/shotframept

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

O meu “Mix” de Couverts Portugueses




Olá minha gente,

Eu não sei quanto a vós, mas quando me sento à mesa de um restaurante, não me pode faltar um belo queijinho fresco, o indispensável Paté de Sardinha Manná e os tremoços (ou as indispensáveis azeitonas).
Estes três petiscos até podem não ter grande coisa que os una, mas com um pouco de imaginação e palato apurado, não há nenhum motivo para que não possamos combiná-los numa pequena e deliciosa entrada.
Assim hoje trago o meu “’Mix’ de Couverts Portugueses”. Vão precisar de:

- 1 lata de 65g de Paté de Sardinha Manná (podem também usar a variante picante);
- 1 queijo fresco de cabra (pequeno);
- 2 a 3 tremoços;
- ¼ de colher de chá Massa malagueta;
- 3 colheres de sopa de vinagre Balsâmico;
- ½ colher de chá de açúcar mascavado;
- Cebolinho picado a gosto;


Para começar corta-se o queijo fresco em três rodelas iguais, depois entre cada uma das camadas barra-se uma boa quantidade de Paté de Sardinha Manná e dispõe-se tudo uns por cima dos outros. Reserva-se no frio.
Entretanto leva-se ao forno os tremoços partidos em pedaços temperados com um pouco de azeite e a massa malagueta, a 120 graus, até estarem crocantes.
Entretanto, numa frigideira pequena coloca-se o vinagre balsâmico com o açúcar mascavado e deixa-se reduzir até ficar com uma consistência mais espessa (quase como caramelo).
Finaliza-se colocando os tremoços desidratados, algumas gotas da redução de vinagre balsâmico e polvilhando o cebolinho picado.
E aqui está, uma receita muito fácil, saborosa e saudável.

Patrocinado por Manná – Patés e Conservas de Peixe – www.consul.ptwww.facebook.com/MANNAPateseConservasdePeixe

Fotos por Shot Frame – www.shotframe.pt / facebook.com/shotframept


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Chilli com Carne Vegetariano com Arroz de Lima e Salicórnia



Olá minha gente,
Uma das minhas resoluções para 2017 é dar mais oportunidades a diferentes sabores, cozinhas e receitas. O primeiro exemplo disso mesmo, é a cozinha vegetariana. De facto, tenho tentado preparar pelo menos um prato vegetariano (ou só com vegetais) por semana, não só por uma questão de saúde, mas também para variar mais as refeições e com isso aprender um pouco mais sobre como bem cozinhar com vegetais.
Desta forma, hoje trago-vos um dos meus pratos favoritos, mas numa versão vegetariana, “Chilli com Carne Vegetariano com Arroz de Lima e Salicórnia”. Neste caso, a carne é substituída por um produto vegetariano alternativo à carne moída. Vão precisar de:

(Para cerca de 4 pessoas)
(Chilli com Carne)
- 250g Carne moída vegetariana (produto vegetariano alternativo à carne moída);
- 1 lata de Feijão azuki (400g);
- 6 tomates cherry (partidos em pedaços);
- ½ cebola (em cubos);
- 5 pimentos assados em conserva;
- 1 pau de canela;
- 2 folhas de louro;
- Cerca de 400ml de polpa de tomate;
- 1dl de café (forte);
- 1 colher de sopa de ketchup;
- 2 quadrados de chocolate (70% de cacau);
- 3 colheres de chá de cominhos em pó;
- 2 colheres de chá de paprica;
- ½ colher de chá de pimenta de caiena;
- 1 colher de chá de coentros em pó;
- 1 colher de chá de alho em pó;
- Piripiri moído a gosto;
(Arroz de Lima e Salicórnia)
- Arroz agulha (vaporizado);
- Sumo e raspas de 1 lima;
- 1 mão cheia de salicórnia;

Para começar, num tacho faz-se um refogado com a cebola, o tomate cherry, os pimentos assados (em cubos), as folhas de louro e o pau de canela. Deixa-se refogar por cerca de 5 minutos.
De seguida adiciona-se a carne moída vegetariana, assim como metade de cada uma das especiarias e deixa-se cozinhar tudo por alguns minutos.
Adiciona-se a polpa de tomate, o ketchup e o café e deixa-se cozinhar mais um pouco até que o molho comece a engrossar de novo. Nesta fase, junta-se o chocolate e a restante quantidade das especiarias, ajusta-se o sal e deixa-se cozinhar em lume brando por pelo menos mais 30 minutos.
Nos 10 minutos finais, junta-se o feijão azuki e deixa-se cozinhar.
Entretanto, num outro tacho coze-se o arroz apenas com água e assim que estiver cozinhado junta-se o sumo e as raspas de lima e a salicórnia. Mistura-se bem e está pronto.

Et voilá! Um dos meus pratos favoritos com um twist mais saudável, mas igualmente saboroso.



Fotos por Shot Frame – www.shotframe.pt / facebook.com/shotframept