quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Portobellos recheados com Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy



Olá minha gente,

Hoje trago-vos mais uma deliciosa receita, preparada com um dos meus ingredientes favoritos, cogumelos. De facto, é um dos ingredientes que já tem “lugar cativo” na minha cozinha.

Os cogumelos são um daqueles alimentos que para além de saborosos, são muito saudáveis. São ricos em vitamina D, fibras, potássio, ferro e cálcio, para além disto possuem um grande poder antioxidante, são isentos de glúten e uma proteína magra, daí que um dos adjetivos mais usados para os caracterizar seja “carnudos”.

Assim, hoje trago-vos uns carnudos e deliciosos Potobello recheados com um dos ingredientes mais especiais da indústria conserveira, Ventresca/Barriga de Atum, neste caso uma “Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy”. Vão precisar de:

- 1 lata de Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy;
- 6 cogumelos Portobello;
- Cerca de 50g de espinafres congelados;
- 8 a 10 tomates secos;
- 1 colher de sopa de molho inglês;
- 2 dentes de alho;
- 2 folhas de louro;
- Raspas de clementina a gosto;
- Tomilho-limão a gosto;
- Alecrim a gosto;
- 60 a 80g Queijo flamengo ralado;
- Cerca de 70g de Panko (pão ralado japonês);


Em primeiro lugar, remove-se cuidadosamente o pé, assim como uma parte do interior dos cogumelos, de maneira a não perfurar totalmente os cogumelos e de forma a termos ainda assim uma base com alguma grossura.

Depois, numa frigideira, salteiam-se os pedaços de cogumelos, juntamente com os espinafres e o tomate seco partidos em pedaços. Tempera-se com os dentes de alho esmagados, as folhas de louro, o molho inglês e com sal e pimenta a gosto. Deixa-se cozinhar por cerca de 10 a 15 minutos.

Entretanto, mistura-se o queijo com o panko e tempera-se com o tomilho-limão, o alecrim e um pouco do azeite da conserva.

Posto isto, tempera-se o interior dos Portobello com sal, pimenta e com um pouco do azeite da conserva e recheiam-se com a mistura de cogumelos, tomate seco e espinafres. Por cima coloca-se os pedaços de “Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy” de forma a que uma parte fique de fora do cogumelo.

Para finalizar, raspa-se um pouco de clementina por cima da ventresca e cobre-se tudo com a mistura de queijo e panko e leva-se ao forno a 200 graus por cerca de 20 a 25 minutos cobertos por papel de alumínio e depois mais cerca de 10 a 15 minutos destapados, para alourar.

Simples e muito saboroso. Experimentem.


Patrocinado por Good Boy – Conservas de Peixe www.facebook.com/goodboy.conservasdepeixe / www.consul.pt/good-boy-pt

Fotos por Shot Frame - www.facebook.com/shotframept


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Empadão de Kamut e Quinoa com Conservas Manná ao Natural


         

Olá minha gente,

O Barrigana está de volta com mais uma das suas receitas, que desta vez é, por sinal, bastante saudável.

Hoje, dia 8, assinala-se o Dia Europeu da Alimentação e Cozinha Saudáveis e como tal para a receita de hoje esforcei-me por usar ingredientes o mais saudáveis possível.
Assim hoje trago-vos um “Empadão de Kamut e Quinoa com Conservas Manná ao Natural”.
Vão precisar de:

(Para cerca de 4 pessoas)
- 1 lata de Atum posta ao natural Manná;
- 2 latas de Filetes de Cavala ao Natural Manná;
- Cerca de 150g de Kamut;
- Cerca de 150g de Quinoa;
- 2 alhos-franceses (pequenos);
- Salicórnia em pó (q.b.); (Esta erva salga o mesmo que o sal, com menor quantidade de sódio)
- 5 fatias de queijo (-50% de gordura);
- 200ml de Natas de Aveia;
- 1 colher de sopa de farinha de cogumelo;
- 1 colher de sopa de farinha de batata-doce;
- Coentros a gosto;
- Cebolinho a gosto

Em primeiro lugar, coze-se o kamut e a quinoa, em separado, pois têm tempos de cozedura diferentes.

Em seguida, num tabuleiro com azeite coloca-se metade do kamut e a quinoa (misturados) fazendo uma camada de base. Depois coloca-se o alho-francês cortado em rodelas e tempera-se com um pouco de azeite e a salicórnia em pó.

Numa taça mistura-se o Atum Posta e os Filetes de Cavala ao Natural Manná e espalha-se no tabuleiro. Entretanto num pequeno tacho aquece-se ligeiramente as natas de aveia, à qual se junta as farinhas de cogumelos e batata-doce lentamente e mexendo constantemente com uma vara de arames, para que não faça grumos. Tempera-se com a salicórnia em pó e com coentros e cebolinho picados a gosto.

Assim que tivermos uma mistura aveludada vertemos a maior parte por cima da mistura de conservas, para de seguida colocar a outra metade do kamut e quinoa de forma a fazer uma camada. Depois colocam-se as restantes natas de aveia por cima seguidas das fatias de queijo para finalizar.

Leva-se ao forno por cerca de 35 minutos, mais 2 a 3 minutos no fim no modo grill para tostar o topo.

Saudável, saudável, saudável...é a palavra de ordem para esta receita.

Patrocinado por Manná - Patés e Conservas de Peixe - www.consul.pt / www.facebook.com/MANNAPateseConservasdePeixe

Fotos por Shot Frame - www.facebook.com/shotframept

domingo, 18 de junho de 2017

Dia Internacional do Sushi - Temaki de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy


Olá minha gente,

O Barrigana está de volta com mais uma das suas receitas e desta vez é uma receita que merece uma grande vénia. Sabem porquê? Porque hoje celebra-se o Dia Internacional do Sushi e por isso mesmo aventurei-me a preparar uma receita de sushi, mais propriamente um “Temaki de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy”.

Por incrível que pareça esta receita combina dois elementos muito distantes, mas também muito próximos entre si, a conserva e o sushi. Na verdade, nos primórdios, o sushi surgiu como uma maneira de conservar o peixe. Antigamente no Japão, para que o peixe conseguisse chegar a todo o território em perfeitas condições para consumo, este era salgado e depois acondicionado entre camadas de arroz cozido. Desta forma, o peixe ficava conservado, já que o arroz libertava ácido acético e ácido láctico que ajudava a preservar o peixe e dava-lhe um sabor ácido.

Assim, conserva e sushi (ainda que na sua origem) são ambas uma forma de conservar o peixe.
Mas voltando à receita de hoje, vão precisar de:

(Para 3 Temakis)
- 1 lata de Ventresca de Atum à Portuguesa Good Boy;
- 1 folha e ½ de alga Nori;
- 1 medida pequena de arroz de sushi (suficiente para 3 pessoas);
- 2 colheres de sopa de maionese;
- Wasabi a gosto;
- Cerca de 6 colheres de chá de vinagre de arroz;
- 1 cornichon;
- 6 fatias de Maçã Granny Smith;
- Cebolinho q.b.;
- Sementes de sésamo q.b.;
- Sucedâneo de caviar q.b.;

Começamos pelo arroz. Em primeiro lugar lava-se bem o arroz até a água da lavagem ficar apenas ligeiramente turva. Depois coloca-se o arroz num tacho e junta-se cerca de uma medida e meia de água (usando a mesma medida que usámos para medir a quantidade de arroz), algumas pedras de sal e leva-se a lume médio-forte até começar a levantar fervura. Assim que começar a levantar fervura diminui-se o lume para o mínimo, tapa-se e deixa-se cozer por 10 minutos em lume muito baixo.

Uma vez cozinhado, retira-se para uma tábua (ou superfície) de madeira e deixa-se arrefecer mexendo o arroz levemente com a ajuda de uma colher. Em seguida mistura-se o vinagre de arroz com um pouco de sal e um pouco de açúcar e tempera-se o arroz aos poucos distribuindo bem este tempero por todo o arroz e misturando (para temperar esta quantidade de arroz apenas usei metade deste tempero). Reserva-se.

Seguidamente, numa taça junta-se a maionese, o wasabi, a restante mistura do vinagre de arroz, o cornichon finamente picado, o cebolinho picado e a Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy desfiada. Mistura-se tudo bem e reserva-se.

Nesta fase, parte-se uma folha de alga nori em metade, coloca-se numa mão (seca, caso contrário a alga começa a perder automaticamente a sua crocância e torna-se mais difícil de mastigar) e com a outra mão ligeiramente molhada retira-se um pouco de arroz e coloca-se no canto dispondo-o na diagonal de forma a que a ponta do canto inferior fique livre. Depois coloca-se a mistura de Ventresca de Atum à Portuguesa em Azeite Good Boy e as duas fatias de maçã Granny Smith.

A fase seguinte é crítica: enrolar. Pega-se na ponta inferior da alga e enrola-se de maneira a que esta ponta vá bater a um pouco mais do meio da alga e depois, cuidadosamente, enrola-se a restante alga em torno do recheio (caso tenham dúvidas existem vários vídeos no youtube que ensinam a técnica do temaki).

Uma vez enrolado, finaliza-se com um pouco mais de cebolinho picado, sementes de sésamo e sucedâneo de caviar a gosto (caso tenham possibilidade podem usar tobiko [ovas de peixe voador]) no topo.

Uma combinação simples, mas diferente para assinalar o Dia Internacional do Sushi.

Patrocinado por: Good Boy Conservas de Peixe – www.consul.pt/good-boy-pt


Fotos por: Shot Frame – www.shotframe.pt  /  facebook.com/shotframept

domingo, 21 de maio de 2017

Filetes de Robalo Braseados com Granita de Tomate e molho de Coentros


Olá minha gente,

O Barrigana está de volta.
Para hoje preparei uma excelente receita para estes dias que já lembram o verão.

Quente, ou frio? É sempre uma decisão a tomar quando fazemos uma receita, …e porque não ter os dois??? É isso que vos trago hoje, uns surpreendentes “Filetes de Robalo Braseados com Granita de Tomate e molho de Coentros”. Vão precisar de:

(Para 3 pessoas)
- 3 filetes de robalo;
- 4 tomates chucha médios (maduros);
-  Coentros a gosto;
- Azeite q.b.;
- Vinagre Balsâmico a gosto;
- Cebolinho a gosto;
Marinada para o peixe
- Cerca de 2 colheres de sopa de soja;
- Cerca de 1 colheres de sopa de molho inglês;
- Cerca de 2 colheres de sopa de vinagre balsâmico;
- Rodelas de limão;

Em primeiro lugar, tempera-se os filetes de robalo com as rodelas de limão e reserva-se no frio por cerca de 1 a 2 horas e colocam-se os tomates no congelador para que congelem.

Entretanto, colocam-se folhas de coentros a gosto no almofariz, juntamente com algumas pedras de sal grosso, um pouco de azeite e de vinagre balsâmico. Bate-se tudo até se obter uma pasta. Retifica-se os temperos e reserva-se.

De seguida, numa taça mistura-se a soja, o molho inglês e o vinagre balsâmico. Retiram-se os filetes de robalo do frio e temperam-se com a mistura e reserva-se por pelos menos 30 minutos.

Nesta fase retiram-se os tomates do congelador e ralam-se com a ajuda de um ralador, de maneira a obter-se uma mistura granulada. Depois de tudo ralado, mistura-se tudo bem com a ajuda de um garfo, para soltar um pouco mais a mistura e volta-se a colocar no congelador.

Passados os 30 minutos, partem-se os filetes em pedaços com a largura de aproximadamente 3 dedos e colocam-se numa travessa de alumínio. Nesta fase, com a ajuda de um maçarico braseiam-se a gosto de ambos os lados e reservam-se. Caso não tenham um maçarico podem colocar os filetes num forno bem quente no modo grill por alguns minutos.

Serve-se colocando a granita de tomate juntamente com o molho de ervas por baixo e depois os filetes de robalo, finalizando com cebolinho picado a gosto.

Aconselho a que comam rapidamente antes que os filetes fiquem frios e que a granita derreta.

Quente ou fria? Os dois. Uma excelente receita, saudável e deliciosa.

Fotos por Shot Frame – www.shotframe.pt / facebook.com/shotframept